quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

MENSAGEM DE NATAL


No dia 15 de dezembro passado, o Froilam fez uma postagem no blog dele (http://froilamoliveira.blogspot.com/), que senti em meu coração ser uma das coisas mais sérias e importantes que já li nos últimos tempos, por isso transcrevo a seguir:
"O DITO CUJO E O REBANHO PERDIDO
Nem os romanos (na Palestina ou em Roma), nem os filósofos ateus (como Marx, Nietzsche, Bertrand Russel...), ninguém atingiu tão iconoclastamente o Cristianismo em sua principal sustentação pseudo-histórica – o nascimento do filho de Deus – quanto o advento do Papai Noel. A cada mil papais-noéis, um presépio. Os cristãos não se deram conta da oferta que lhe faz anualmente o Diabo, levando-os ao consumismo desenfreado. As Escrituras registram o insucesso que o Dito teve diante de Jesus, o Grande Pastor (Mt. 4:9-10). Dois mil anos depois, ele se vinga no rebanho. "
Pois é, ninguém fala, não se vê na mídia nem uma alusão ao aniversário da vinda Daquele que veio para nos salvar, a nós, degredados de outros orbes mais evoluídos, remanscentes cósmicos dos mais distantes pontos do espaço sideral, que estamos neste planeta de espiação para trabalharmos, evoluirmos e nos redimir dos erros muito antes cometidos.
Só há comércio, comilanças, beberanças, bem no estilo das trevas.
Eu quero um Natal que se fale no Cristo, no Jesus Cristo que veio para iluminar o mundo, para nos indicar o caminho de retorno à morada do Pai Celestial.
Quero um Natal de silêncio, de oração, de alegria porque é aniversário de Jesus.
Que o amor crístico, incondicional, possa neste Natal iluminar as nossas consciências, para que possamos transcender as querelas da materialidade e nos tornarmos verdadeiros filhos de Deus!

Um comentário:

Froilam de Oliveira disse...

Mesmo não mais me considerando cristão, vejo claramente a contradição vivida pelos católicos principalmente, quando analisados à luz dos preceitos do Novo Testamento. Basta um único versículo para condenar essa contradição, essa hipocrisia generalizada: Mt 6:24.
Agradeço-te pela citação do meu texto. Abç