quarta-feira, 18 de junho de 2008

Novos dialetos na comunicação inter-espécies

Na foto, o pretinho é o Éthiènne Navar, a carinha branca de bigodinho é a Ashtara, a morisca é a Chiquinha, e ao fundo, dormindo, a Vitza Slovena.
A cada dia que passa e diante das nossas circunstâncias, aprimora-se a nossa capacidade de comunicação.
Sempre digo que a nossa é a mais estranha família que já se viu, de gentes , plantas e bichos.
Nós tínhamos o gatês e o português com o qual nos comunicávamos com as gatas. Mas agora temos o gatuguês, que é uma mistura dos dois primeiros. As gatas parecem emitir ondas mentais que nos comunicam exatamente o que querem dizer.
Já com as cachorras, hoje temos portchorrês, que é a fusão do português com o cachorrês. A comunicação das cachorras com a gente parece que são ondas que saem do plexo cardíaco delas e vêm até o nosso.
Por isso sinto que gatos são cérebro e cachorros são coração.

Um comentário:

>>>V@Ñ&$s@ disse...

simpática sua visão sobre essas adaptações da linguagem

curti seu blog

=D