terça-feira, 30 de setembro de 2008

Um poeminha só


Motivo



Não escrevo para a memória.
Escrevo para o esquecimento.
O tempo se encarregará disto.


Meu manuscrito
resisto em escrevê-lo
para abominação dos medíocres.


Minha sombra me acompanha
forma no mundo das formas.
Depois -- apenas átomo serei
na transmutação da matéria.


Feliz é o verme
... porque ignora.

por Fátima Friedriczewski
--------------

2 comentários:

Alessandro Reiffer disse...

Ótimo poema, Fátima, grandioso em sua simplicidade, e é exatamente essa simplicidade que o faz grandioso. Digo isso com a mesma sinceridade com que tu o escreveste. Abraços!

Rúbida Rosa disse...

EM POUCAS PALAVRAS,DISSESTES TUDO...
GOSTEI MUITO.
ABRAÇOS